Edição nº 35, maio de 2009
 
Retrato
Por Isilda Magalhães Costa.
Foto de Rodrigo Queiroz

O mercador de sorrisos

Clarice Lispector escreveu que “o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo”. E, por acreditar em si mesmo, David Portes, ex-morador de rua e ex-camelô, deu uma grande virada em sua vida e hoje encanta clientes e plateias do mundo todo. “O sorriso é uma linguagem universal, abre portas e ajuda a abrir carteiras”, brinca. “Mas sorrir não basta. É preciso correr atrás.” Crise? “Corte o ‘s’ e crie”, ensina. “É preciso ter atitude, ser criativo e arrojado.” David jamais frequentou uma faculdade. A saga desse carioca-capixaba nasceu no Rio de Janeiro, mas foi registrado no Espírito Santo ‐ inspira. Em 1988, com a mulher grávida e doente, foi despejado do barraco alugado na Favela da Rocinha. Juntou módicos R$ 12 reais e investiu em doces para vender. “Em duas horas dobrei o capital e em um ano, consegui a casa própria”, lembra o vendedor, que virou fenômeno de marketing e palestrante profissional.

Em 2000, fez sua primeira palestra no Instituto de Marketing Industrial, em São Paulo. Hoje, já soma mais de 750 apresentações ao redor do mundo. Sua conferência está entre as mais solicitadas do Brasil. É autor do livro David, uma Lição de Vida e de Marketing e coleciona prêmios: Latin American Quality Institute, The Bizz Awards, Top of Business Nacional e Top Empreendedor. Além disso, é citado por Phillip Kotler, papa do marketing mundial. Apesar da escalada de sucesso e do êxito financeiro, David guarda as lições que aprendeu com a vida e mantém hábitos simples. “Gosto de andar de bicicleta, de passear pela orla com a família e de frequentar a banca que me rendeu fama e vida próspera. Sempre que possível passo lá para vender.” O segredo? “Atendimento personalizado, honestidade e sorriso verdadeiro no rosto”. Simples assim.